Selecionar termômetros mecânicos adequados para um processo não é uma tarefa fácil. Termômetros bimetálicos ou termômetros à expansão de gás – a decisão sobre o tipo de termômetro selecionado depende de vários fatores. Um dos critérios de seleção mais importante é o tempo de resposta do instrumento de medição.

Quando se trata de velocidade, não existem melhores do que os termômetros à expansão de gás. Como regra geral, estes termômetros levam cerca de 30 segundos para um ajuste de temperatura de 10°C a 90°C. Um termômetro bimetálico apresentaria este mesmo valor final após 90 segundos. Devido ao seu curto tempo de resposta, os termômetros à expansão de gás são particularmente adequados para integração com os requerimentos de sistemas de acionamento elétrico (contato).

A diferença de velocidade é explicada pelos diferentes princípios funcionais destes dois tipos de termômetros – ao contrário do termômetro bimetálico (que utiliza o princípio de diferentes coeficientes de expansão), o sistema de medição de um termômetro à expansão de gás é preenchido com hélio sob pressão. Qualquer variação na temperatura provoca uma alteração imediata da pressão interna na haste. A pressão deforma o tubo de medição e a deflexão é transferida para o ponteiro através de um movimento.

Poços termométricos afetam o tempo de resposta

Como acontece com outros instrumentos de medição, em processos críticos, os termômetros mecânicos devem também ser instalados com poços de proteção. Deve ser considerado que este poço de proteção terá também uma influência, até certo ponto significativa, sobre o tempo de resposta do termômetro. Até quanto, dependerá do material e da espessura da parede do poço de proteção.

Nota
Mais detalhes sobre termômetros mecânicos podem ser encontrados no site WIKA nos itens termômetros analógicos e termômetros com contatos elétricos.



Deixe uma resposta