Respiro no sensor de pressão

Nos chamados “sensores manométricos”, a pressão é sempre medida em relação à pressão ambiente atual. No entanto, a pressão ambiente não é uma constante. Ela depende da localização e da altitude, mudando conforme as condições climáticas. Isso significa que, para que um sensor de pressão funcione, a pressão ambiente (variável) também deve estar disponível dentro do instrumento.

Isso significa que devemos permitir que a pressão ambiente entre no instrumento, ou seja, o instrumento deve ser “ventilado”. Se um instrumento desse tipo permanece sem ventilação, a mudança de clima e localização, em relação à calibração realizada pelo fabricante, pode gerar um erro adicional considerável. Este efeito torna-se cada vez menos importante com o aumento da faixa de pressão do sensor, em comparação com a mudança real na pressão ambiente.

A propósito: nos instrumentos não ventilados, a influência da temperatura acrescenta outro efeito. A expansão do ar incluso no instrumento como resultado de uma mudança de temperatura provoca uma pressão preliminar, que também aparece como um erro de medição adicional. Conclusão: Os sensores de pressão utilizados para medir pressão manométrica devem ser “ventilados”. Normalmente isso é feito através de uma abertura controlada, um orifício chamado de ventilação. Este orifício de ventilação deve, obviamente, ser cuidadosamente protegido contra a entrada de sujeira, poeira e umidade. Isso pode ser alcançado através de medidas de design (localização, membranas, labirintos, etc.) ou deve ser assegurada pelo usuário no local, controlando cuidadosamente a situação de montagem.



Deixe uma resposta