Calibration of thermometers (e.g. thermocouples)

Nem todas as calibrações são iguais. Isto é ilustrado por exemplo pela “calibração de temperatura” no qual o método de teste usado depende de vários fatores, tais como condições de processo, padrões de qualidade e requisitos de segurança. Dependendo do método, o item de calibração pode até ser atestado como tendo o dobro de precisão das medições. Isso pode ser um aspecto crucial para aumentar a eficiência do processo.

A temperatura é a medida mais comum em processos industriais. Isso significa que uma grande quantidade de termômetros é instalada em sistemas correspondentes. Assim, modelos e espectros de desempenho são orientados para as respectivas tarefas de controle. A partir de suas exigências e das condições ambientais, a verificação dos instrumentos de medição também é derivada.

Calibração de temperatura – sentido e necessidade

A calibração de instrumentos de medição da temperatura é necessária por uma variedade de razões. Em primeiro lugar, a calibração de elementos de medição de temperatura, como termopares, está ganhando importância no contexto da escassez de recursos e aumentando a eficiência dos processos de fabricação. Um aumento na precisão da medição pode resultar, por exemplo, não só na economia de matéria-prima, mas também em menos emissões de poluentes. Em segundo lugar, a calibração de termômetros pode ser relevante para a segurança. Se os instrumentos de medição na indústria química, por exemplo, não fornecem os valores corretos e se isso resulta em um controle defeituoso dos processos químicos, pode surgir um risco de explosão.

A importância da calibração também é evidente nos exemplos cotidianos. Por exemplo, a calibração de medidores para o consumo de gás e água em residências ou os medidores de combustível nas bombas de estação serviço. É óbvio que uma calibração regular de termopares ou de termorresistências é necessária a fim de reconfirmar a confiança no valor medido ou para determinar toda a mudança que ocorre com o passar do tempo. Em caso de dúvida, o instrumento pode ser reajustado ou substituído antes que o processo esteja danificado.

Calibração de temperatura – requisitos e rastreabilidade

Calibrar instrumentos de medição de temperatura é uma despesa que muitas empresas não podem ou não vão pagar por conta própria. Isso acontece especialmente para processos que são certificados de acordo com a norma ISO 9001 e os sistemas de garantia de qualidade comparáveis. Os sistemas de QA exigem uma verificação regular dos instrumentos de medição, que devem ser rastreáveis ao mesmo tempo.

O tópico de “rastreabilidade” pode ser descrito da seguinte maneira: para poder comparar de forma confiável os resultados de medição, eles devem ser capazes de ser “rastreados” para um padrão (nacional ou internacional) através de uma cadeia de medições comparativas. Para este padrão, a exibição de um instrumento de medição usado ou uma medida material é comparada. Isso pode ser feito em um ou mais estágios. Em cada um destes estágios, uma calibração é executada em um padrão previamente calibrado com um padrão superior do ranking. Os padrões estão sujeitos à uma classificação definida. Estas classificações variam de padrões de trabalho ou de fábrica para padrões de referência e normas nacionais. De acordo com esta classificação, há uma hierarquia de calibração dos órgãos de execução. Estes vão desde o laboratório de calibração interno até laboratórios de calibração credenciados e o INMETRO.

Calibração de temperatura – realizado em laboratórios certificados

Desde 1997 os laboratórios de calibração WIKA são acreditados pelo CGCRE sob N°084 conforme Norma ABNT NBR ISO/IEC 17025, para execução de serviços nas instalações permanentes dos laboratórios na WIKA, bem como nos serviços de calibração em campo nas instalações dos clientes. Nós participamos ativamente dos grupos de pesquisa e de padronização dos órgãos oficiais, o que proporciona à WIKA um constante progresso de seus laboratórios associado à experiência adquirida no mercado nacional e permanente atualização e transferência de tecnologia de seus equipamentos primários através da sua matriz.

Juntos, a gestão de qualidade do cliente e o laboratório podem desenvolver os processos de calibração necessários para uma planta. É necessário definir onde as verificações padrão são suficientes, onde as soluções específicas do cliente fazem sentido, ou se o tempo de inatividade no processo deve ser reduzido por meio de uma calibração em campo. Para isso, o cliente contata o laboratório para definir os pontos de temperatura relevantes e as incertezas de medição. Estes são usados para derivar o equipamento que deve ser usado para a calibração. Em geral, uma distinção é feita entre dois métodos ao calibrar instrumentos de medição de temperatura – a calibração de ponto fixo e a calibração comparativa.

Calibração de temperatura – WIKA como parceiro confiável

A WIKA oferece calibração de ponto fixo e calibração comparativa. O método de calibração apropriado é determinado pelo requisito de precisão e o tipo de item de teste. A calibração de um medidor de temperatura pode ter lugar em uma escala de temperatura de -196 °C até + 1200 °C. Para os certificados, a escolha pode ser feita entre um certificado de calibração 3.1 ou certificado RBC/INMETRO (Certificação acreditada ISO/IEC 17025: 2005) Para instrumentos de medição da temperatura, um ciclo de calibração de um ano é geralmente recomendado.
Geralmente, nós calibramos independentemente do fabricante. Nosso espectro inclui, entre outros, sensores de temperatura, com transmissores, termorresistências e termopares.

Nota
Se você tiver alguma dúvida, por favor, não hesite em contatar a nossa equipe de serviço. Para mais informações sobre o nosso centro de calibração e assistência, visite o site da WIKA. A nossa gama de instrumentos de medição de temperatura pode ser encontrada aqui.

Veja também o nosso artigo
Calibração comparativa vs. calibração de ponto fixo


Deixe uma resposta