A calibração de instrumentos segue parâmetros específicos, tanto em relação às normas regulamentadoras quanto em relação aos limites de aceitação para cada grandeza. Com isso, é preciso entender como e o porquê devemos calibrar os equipamentos responsáveis pela medição da pressão, da temperatura, do dimensional, dentre outras grandezas. Diferente de processos como a verificação e o ajuste, a calibração de instrumentos é uma operação detalhista e mais delicada, pois se têm: a avaliação dos valores, a identificação dos erros e das características metrológicas. Bem como a emissão de um certificado que têm peso de legalidade perante às normas regulamentadoras. Sendo assim, o ideal é que o usuário do equipamento também entenda melhor sobre o procedimento de calibração a fim de que imprevistos sejam evitados e a taxa de incerteza seja irrisória. Para resolver este problema, a melhor solução é compreender os parâmetros envolvidos na calibração de instrumentos e as razões pelas quais ele é indispensável.

Parâmetros para a calibração de instrumentos

É possível definir a calibração de instrumentos como uma operação que estabelece, sob condições especificadas, uma relação entre os valores e as incertezas de medição fornecidos por padrões e as indicações correspondentes com as incertezas associadas. E utiliza esta informação para estabelecer uma relação visando a obtenção dum resultado de medição a partir de uma indicação. Com isso, conseguimos manter os padrões do fabricante e assegurar que os instrumentos não apresentem erros significativos, capazes de corromper toda uma cadeia produtiva. A ciência de dados envolvida nos processos de calibração de instrumentos trabalha com os chamados limites de tolerância. Para isso, as empresas devem adotar algum critério de aceitação de seus instrumentos, que servirá para facilitar e padronizar o trabalho de avaliação dos resultados, pois deve-se estabelecer os limites de erro máximo que poderão ser admitidos. Além do mais, é preciso levar em consideração que a calibração de instrumentos é um procedimento obrigatório. E compreender as características do processo fornecerá dados de atenção com relação ao uso de equipamentos e funcionamento seguro da produção.

Existem períodos obrigatórios para realizar a calibração do seus instrumentos?

Para que seja simples de entender, sim! Há situações que preveem como obrigatória a realização da calibração dos instrumentos, sendo elas as seguintes:

  • Aquisição de um equipamento novo;
  • Chegada de um determinado tempo de operação, que pode ser calculado em horas, por exemplo;
  • Quando o instrumento passa por alguma situação de estresse: choque ou vibração, exposição a agentes químicos, à ação de intempéries ou de condições ambientais desfavoráveis. Sem contar outros fatores pontuais que possam comprometer os componentes e circuitos do equipamento, como sobrecarga;
  • Valores de referência estarem fora das faixas aceitáveis;
  • Período logo após uma manutenção;
  • Casos em que as medidas apresentadas após a calibração ainda são consideradas questionáveis e passíveis de recalibração.

Esses são alguns dos pontos de atenção que devem sempre ser levados em conta. Afinal, o certificado de calibração passa a ser mera formalidade em casos onde os cuidados são não periódicos.

Profissionais autorizados a realizar a calibração de instrumentos

O mais comum é que a calibração de instrumentos seja realizada por equipes de técnicos, que podem exercer a atividade em laboratório ou em campo. Mas independente do tipo de modalidade, a calibração só pode ser realizada por profissionais acreditados pela CGCRE, que é a Coordenação Geral de Acreditação do INMETRO. O profissional responsável deve ter conhecimento técnico e legal sobre a calibração de instrumentos e toda área de metrologia. Dessa forma, ele terá autonomia para interpretar os dados contidos no certificado de calibração, bem como os resultados obtidos durante suas análises metrológicas. No mais, com o aval do signatário autorizado, é possível garantir a emissão de um novo certificado. Então é imprescindível que a calibração de instrumentos seja feita por laboratórios especializados e que garantem qualidade no processo.

Por que calibrar um instrumento?

Além de ser uma exigência legal, a calibração de instrumentos garante que os processos estejam em sintonia com questões de segurança e qualidade. Já que equipamentos de medição, por exemplo, que não estejam em conformidade com as especificações do fabricante podem trazer sérios danos, como:

  • Sobrecarga do sistema;
  • Vazamentos ou explosões;
  • Acidentes envolvendo colaboradores do setor.

A lista certamente poderia ser maior. Mas um outro parâmetro a ser discutido quando o assunto é análise dos processos é a questão do gerenciamento. E não importa se estamos tratando de gestão da qualidade ou mesmo o próprio planejamento estratégico de uma linha de produção. Elas vão influenciar diretamente nos resultados finais. A averiguação dos dados através das medições é realizada para suprir um propósito claro: conseguir mensurar se os processos encontram-se ou não dentro dos padrões, pois com base nesta análise é que medidas serão tomadas! Uma vez que elas podem, certamente, provocar impactos econômicos. Então, para evitar que transtornos atinjam a sua linha de produção, é essencial que a calibração de instrumentos esteja em dia. As consequências do não-cuidado podem ser desastrosas, impedindo a liberação de produtos e serviços, aumentando o número de manutenções ou mesmo tendo que arcar com prejuízos humanos.

Localizando um especialista

Procure um laboratório especialista em calibração de equipamentos e evite quaisquer problemas. Lembrando que, a depender da situação, a calibração pode ser realizada em campo, nas dependências da sua empresa. Fale com um dos especialistas do nosso time para mais informações, basta clicar aqui. Para serviços de qualidade, conte com a WIKA do Brasil!


Deixe uma resposta