A exatidão é a medida do desempenho e da qualidade de um produto de calibração. Enquanto a exatidão é o indicador mais popular destas características, nem todos os fabricantes usam esse método. Alguns usam o termo incerteza para determinar a qualidade de um equipamento de calibração.

Isto torna-se um pouco mais difícil de se compreender, quando estes dois termos são usados (incorretamente) de forma alternada. Enquanto a exatidão é a proximidade que uma medição está do seu valor verdadeiro, a incerteza traz consigo valores fora de padrão e anomalias, que podem distorcer a exatidão de uma leitura.

Geralmente, a incerteza é a medida da dispersão estatística dos valores medidos. Todas as medições desde massa até temperatura ou pressão estão sujeitas a algum nível de incerteza. Por que isso é importante para a determinação da exatidão?

Enquanto a exatidão indica o quão perto uma medida está do seu valor real, a incerteza leva em conta qualquer valor estatístico fora de padrão que não esteja em conformidade. Estes podem existir devido as anomalias, ajustes ou outros fatores externos. Incluir tais anomalias diretamente na exatidão de um instrumento poderia ser considerada uma forma enganosa de expressar esta característica. Tomar os valores de incerteza como um todo e calculá-los como uma componente da exatidão resulta num melhor indicador geral de desempenho de um instrumento.

Para determinar melhor a incerteza de medição, você também deve calcular o desvio da leitura. O desvio é a diferença entre os valores medidos e o valor verdadeiro ou esperado. Como exemplo de desvio em uma indicação, podemos citar uma baixa resolução ou um erro de leitura, que afetam a incerteza na medição. O desvio reflete tanto a aleatoriedade como as componentes sistêmicas de uma medida. A exatidão é proporcional ao desvio. Isto significa que quanto maior o desvio, maior a incerteza de medição e o instrumento opera com menor exatidão.

No mundo da tecnologia de medição, existem inúmeras diretrizes que fornecem os meios para avaliar o desempenho dos instrumentos de calibração. Estes são adaptados para o Vocabulário internacional de Metrologia (VIM) ou Guia para a Medição da Incerteza (GUM). No entanto, as diretrizes são geralmente formuladas e não incluem todos os termos das normas para a tecnologia de medição. A Associação Europeia dos Institutos Nacionais de Metrologia (EURAMET) elaborou diretrizes para harmonizar as medições na área da medição da pressão e calibração. Estas diretrizes destinam-se a apoiar os laboratórios e a estabelecer procedimentos práticos.

 

Os parâmetros típicos da calibração, tais como a incerteza da medição e o erro de medição, são dependentes dos seguintes fatores:

  • Instrumento de referência e suas características
  • Repetibilidade
  • Propriedades de histerese do item de teste
  • Resolução
  • Erro de compensação

Um modelo matemático pode ser criado a partir dessas características para a determinação da incerteza de medição e erro de medição.

Quando se trata de instrumentos com capacidades complexas, como controladores, balanças de peso morto e instrumentos com desvios de medição extremamente baixos, a incerteza de medição desempenha um papel importante na exatidão da medição. Para esses instrumentos, as componentes sistemáticas, a incerteza do instrumento de referência, as condições ambientais e as contribuições de incerteza do próprio instrumento são consideradas para se determinar a exatidão do instrumento.

Assim, a incerteza e a exatidão NÃO são as mesmas, principalmente ao comparar instrumentos de vários fabricantes, onde os próprios fabricantes podem estar interpretando estes termos de forma equivocada!



Deixe uma resposta