A resposta para a pergunta “Qual tipo de termopar escolher?” depende de vários fatores relacionados ao processo a ser monitorado, como sua compatibilidade com a meio / ambiente do processo, frequência e exatidão das medições necessárias e o ambiente regulatório de seu setor.

A medição da temperatura é um parâmetro-chave nas operações de fabricação e processamento em muitas indústrias, desde o refino de petróleo a produtos farmacêuticos. O monitoramento exato da temperatura ajuda a garantir resultados seguros, eficientes e ideais. As duas tecnologias de medição de temperatura mais comuns em processos industrial hoje são as termorresistências e os termopares. Cada um tem suas vantagens e desvantagens. Os termopares oferecem um custo relativamente baixo, robustez, tempo de resposta rápido e a capacidade de medir meios de até 2300 ° C (Termorresistências são adequados para uso até apenas 600 °C). No entanto, os termopares são menos precisos do que as termorresistências (sua exatidão degrada com o tempo) e sua saída não é linear. As termorresistências oferecem maior exatidão, repetibilidade e estabilidade, mas têm tempos de resposta mais lentos e são mais caros do que os termopares.

Termopar Industrial – Critérios de Seleção

Um termopar é quase sempre o instrumento de medição de escolha para aplicações acima de 600 °C, mas selecionar o termopar industrial ideal também requer o conhecimento de algumas coisas sobre o processo onde o instrumento será usado.

Poço termométrico para solda (usinado de barra), modelo TW20

Poço termométrico para solda (usinado de barra), modelo TW20

Primeiro, é preciso verificar se o termopar estará em contato direto com o processo ou se ele será integrado a um poço termométrico. Os poços termométricos protegem o termopar de fluidos de processos corrosivos, de altas vazões ou temperaturas extremamente elevadas. Aproximadamente 75% a 80% dos termopares industriais instalados nas indústrias de petróleo e gás, refino, petroquímica, geração de energia e celulose e papel, hoje são montados com poços termométricos. A segunda decisão é o material do instrumento. A grande maioria dos termopares industriais é feita de aço inoxidável, mas certas aplicações exigem ligas especializadas como Inconel®600, Hastelloy® X, Monel® ou semelhantes.

Observe que os termopares para aplicações de alta temperatura usam poços termométricos especiais de cerâmica, chamados de tubo de proteção, dedicados para isolar os fios do termopar do conjunto do instrumento, e resistir a elevadas temperaturas, que materiais metálicos não suportariam. Em seguida, verifique se você precisa de um conjunto de termopar industrial tradicional ou um sensor termopar flexível para uso em um local em um espaço restrito ou de difícil acesso. Finalmente, você deve decidir sobre o tipo de termopar industrial necessário. O tipo, neste contexto, refere-se ao par termoelétrico usado para realmente medir as mudanças de temperatura. Os metais diferentes dos termopares têm faixas de temperatura variadas e outras propriedades que os tornam adequados ou inadequados para uso em aplicações específicas.

Tipos de termopares industriais

A WIKA oferece os tipos de termopares abaixo. Os critérios para decidir qual usar, dependem das propriedades do meio com o qual o instrumento estará em contato, bem como da temperatura da aplicação.

  • Tipo K (NiCr-NiAl) — normalmente usado em atmosferas de gás inerte ou oxidante até 1200 ° C, 2.200 ° F (ASTM E230: 1.260 ° C, 2300 ° F).
  • Tipo J (Fe-CuNi) — normalmente usado em aplicações de vácuo, atmosferas de oxidação e redução ou atmosferas de gás inerte para medições de temperatura de até 750 ° C, 1.380 ° F (ASTM E230: 760 ° C, 1.400 ° F).
  • Tipo N (NiCrSi-NiSi) — normalmente usados em atmosferas oxidantes, atmosferas de gases inertes ou atmosferas de redução seca de até 1.200 ° C, 2.200 ° F (ASTM E230: 1260 ° C, 2.300 ° F). Termopares Tipo N são muito exatos em altas temperaturas; eles são frequentemente usados no lugar dos termopares do Tipo K em aplicações onde uma vida útil mais longa e maior estabilidade são necessárias.
  • Tipo E (NiCr-CuNi) — normalmente usado em atmosferas de gases oxidantes ou inertes até 900 ° C, 1.650 ° F (ASTM E230: 870 ° C, 1.600 ° F).
  • Tipo T (Cu-CuNi) — normalmente usado em temperaturas abaixo de 0 ° C, 32 ° F com um limite de temperatura superior de 350 ° C, 660 ° F (ASTM E230: 370 ° C, 700 ° F) em atmosferas de gases de oxidação, redução ou inertes. Esses termopares são altamente resistentes à corrosão, mesmo em ambientes úmidos.
  • Tipos R, S, e B são termopares de metal nobre, normalmente usados para aplicações de alta temperatura. Os tipos R e S também são usados em algumas aplicações especializadas devido à sua alta exatidão e estabilidade.

Nota
Para encontrar o termopar industrial adequado para sua aplicação, entre em contato com os especialistas da WIKA, eles terão prazer em ajudá-lo.



Post a comment