A medição utilizando elementos primários como medidores de vazão tem algumas peculiaridades. E uma delas é a necessidade de um fluído em um perfil de escoamento desejável, que se mova de forma uniforme e com seu ponto de maior velocidade próximo ao centro da tubulação. Para tanto, deve-se evitar perturbações no fluído, pois estas podem comprometer significativamente a exatidão na medição.

Os principais tipos de perturbações no escoamento do fluido são distorções e turbilhonamentos (movimento rotacional do fluido dentro da tubulação) no perfil do fluido. Distorções são provocadas quando existe uma obstrução, por exemplo uma válvula parcialmente aberta. Já os turbilhonamentos ocorrem quando o fluido passa pelas curvas nos diferentes planos da tubulação, e esse tipo de perturbação é bem mais difícil de se corrigir.

Longos trechos e retificadores de fluxo são requisitados para que se possa ter um fluído livre de perturbações e em um perfil adequado para medição, mas será mesmo que toda aplicação com elemento primário tem essa necessidade de trechos retos?

Saiba mais a seguir sobre medição de vazão com elementos primários e quais as verdadeiras necessidades envolvidas nesse tipo de instalação. Além de se inteirar sobre quais verdades já não são mais absolutas devido aos avanços tecnológicos na área.

Medição de Vazão com Elemento Primário

Basicamente, o princípio de funcionamento de todos os medidores de vazão por pressão diferencial é o princípio de Bernoulli. Os elementos primários ou deprimogênios têm a função de causar um afunilamento ou restrição na tubulação através de um orifício previamente calculado, causando um diferencial de pressão medido antes e posteriormente à restrição. Por esse motivo também são conhecidos como geradores de pressão diferencial.

Os elementos primários são largamente utilizados, principalmente pelos avanços tecnológicos na área dos medidores de pressão diferencial que são uma tecnologia extremamente difundida nas instalações industriais.

Os elementos primários ainda apresentam vantagens como a sua robustez. Ou seja, um elemento primário pode trabalhar durante muitos anos, dependendo do processo, sem que haja a necessidade de manutenção. E ainda possibilita a separação entre o processo e o medidor, facilitando processos de calibração e ajustes que possam vir a acontecer.

Definição de trecho reto

Como o próprio nome diz, o trecho reto é uma seção tubular retilínea, utilizada para estabilizar o fluxo antes mesmo da medição da vazão. Ele garante que o escoamento esteja em níveis ideais para a realização das análises. Garantindo eficiência e exatidão nos procedimentos responsáveis por mensurar o volume dos fluidos que perpassam pelo sistema.

Os trechos retos são projetados com seções à montante e à jusante do ponto de análise. Isso quer dizer que, tanto antes quanto depois da instalação de elementos primários que irão gerar a pressão diferencial para a medição, é preciso haver certo comprimento de trecho reto.

Toda e qualquer seção de trecho reto precisa seguir parâmetros estabelecidos pelas normas vigentes. Tanto em relação ao comprimento quanto à rugosidade permitida e recomendada para a seção transversal das tubulações. Com isso, é preciso olhar com atenção para os materiais que são utilizados na produção dessas aplicações e suas condições de instalação. Pois os índices de corrosão e compatibilidade com o fluido precisam sempre ser levados em consideração.

Avanços tecnológicos na produção de medidores de vazão


No mercado, já existem equipamentos desenvolvidos exatamente para dar fim à essa necessidade de trechos retos. Afinal, qualquer centímetro em um projeto entrará na folha de gastos. E por isso que, ao avaliar produtos ou ferramentas, é preciso pensar antes no custo-benefício dessa aquisição. Porque além do investimento em equipamentos propriamente ditos, existe a preocupação com o espaço e com as condições de instalação.

Então, respondendo à questão proposta por este artigo: nem toda aplicação com elemento primário tem essa necessidade de trechos retos. Já é possível encontrar no mercado, tanto internacional quanto nacional, elementos primários de medição que não perdem a eficiência mesmo na ausência do trecho reto. As medições são feitas com a mesma eficiência e exatidão mesmo em sistemas que não possuem trechos retos.

Já que os medidores de vazão são indispensáveis para alguns negócios, agora é possível também poupar espaço e alguns metros de tubulação. Com isso, cada vez mais, estes equipamentos viabilizam a praticidade na instalação e otimização de sistemas complexos. Não podendo esquecer do maior objetivo de construções como essa: viabilização da praticidade, eficiência e exatidão nas medições realizadas.


Deixe uma resposta